• Contra quem eles atiram?

      Era de se esperar que isso fosse acontecer. Pela minha TL começam a desfilar uma série de depoimentos, reportagens, declarações e artigos que mostram que começamos a fazer a […]

    Leia mais
  • A eleição do não

      Parece sempre mais forte no Brasil a ideia hegeliana  de que os conteúdos não superados da história tendem a se repetir. Já tivemos Jânio, com suas vassouras; Collor o inesquecível […]

    Leia mais
  • Dançando na beira do abismo

      Uma semana após o atentado a faca sofrido pelo Deputado Jair Bolsonaro, a gente já sabe que o maluco que o esfaqueou ouvia a voz de Deus. Por isso, […]

    Leia mais
  • Quando a memória pega fogo

      Em 1999 eu viajei à Grécia. Era meu último ano no curso de filosofia da UFRN e queria conhecer in loco a terra em que Sócrates, Platão e Aristóteles teriam andado, […]

    Leia mais
  • O Diabo do Mercado

        Poucas coisas são mais embaraçosas na contemporaneidade, para um liberal raiz  do que a China. Explicar como é possível que o país que parece administrar de modo mais […]

    Leia mais
  • Pablo Capistrano
  • 23 de abril de 2015, as 5h05

“Aqui, hoje, em nosso país, estamos sujeitos a um governo que só permite uma supervisão limitada e que se recusa a prestar contas quando crimes são cometidos. Quando jovens marginalizados cometem pequenas infrações nós, como sociedade, olhamos para o outro lado enquanto eles sofrem consequências atrozes no maior sistema prisional do mundo, mas quando os provedores de telecomunicações mais ricos e poderosos do país cometem, conscientemente, dezenas de milhões de crimes, o Congresso aprova a primeira lei de nossa nação que proporciona a seus amigos da elite uma imunidade retroativa total – cível e penal – para crimes que teriam merecido as mais longas sentenças de prisão da história.”

O fragmento acima diz respeito especificamente a que país do continente Americano?

Adivinha!

(a)    Cuba

(b)    Venezuela

(c)    Brasil

(d)   EUA

Fonte do fragmento: Edward Snowden;  citado por GREENWALD, Glenn. Sem Lugar Para Se Esconder: Edward Snowden, a NSA e a espionagem do governo Americano. Tradução de Fernanda Abreu. Rio de Janeiro: Primeira Pessoa, 2014. Pg. 41.

 

 

liberte e securite

 


Deixe seu comentário

2007 ® Pablo Capistrano

dz3