• 5 Diários da quarentena 27/03/2020

    5º dia de quarentena  Hoje meu filho Arthur faz dez meses e eu percebo meus ciclos da seguinte forma. Não consigo dormir de madrugada, acordo por volta das 2:00 da […]

    Leia mais
  • 4 Diários de quarentena 26 03 2020

    Hoje foi um dia particularmente difícil, muita ansiedade e angústia. Tenho um defeito terrível de aquariano, sou muito ansioso. O ansioso é aquele sujeito que é preso no futuro, que […]

    Leia mais
  • 3 Diários de Quarentena 25/03/2020

    Não comi nada de ontem pra hoje. Sinto uma descarga de adrenalina no peito que bloqueia meu estômago e me tira a fome. Mesmo tendo corrido e feito e exercícios […]

    Leia mais
  • 2 Diários da quarentena 24/03/20

    Meu celular não está carregando. Quando coloco no carregador aparece uma indicação de que há humidade na bateria, por isso tive de enfiar num saco de arroz pra ver se […]

    Leia mais
  • 1 Diários da quarentena 23 03 2020

    Hoje é o primeiro dia de quarentena total. Um pedaço de RN envolvido em uma cápsula de gordura derrubou a economia global e a ordem política que emergiu após a […]

    Leia mais

01 out

Nietzsche

  • Pablo Capistrano
  • 01 de outubro de 2017, as 6h06
Astor, Dorian. Nietzsche. Tradução de Gustavo de Azambuja Feix. Porto Alegre: L&PM, 2011

Astor, Dorian. Nietzsche. Tradução de Gustavo de Azambuja Feix. Porto Alegre: L&PM, 2011 

 

 

ASTOR, Dorian. Nietzsche. Tradução de Gustavo de Azambuja Feix. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2011.

 

Segunda biografia de Nietzsche que eu leio. Não é tão aprofundada quanto a de Rüdigger Safranski; nem também articula de modo tão próximo os aspectos filosóficos às passagens da vida de Nietzsche, mas tem o mérito de não ser uma daquelas biografias laudatórias que enchem a paciência com uma idealização meio abobalhada do biografado. E olhe que depois que a irmã de Nietzsche assumiu o controle da obra póstuma do filosofo ela mesma se meteu a fazer uma biografia desse tipo que parece ter colonizado os textos sobre Nietzsche no começo do século passado, até que a grande disputa pela sua herança filosófica começasse pra valer.

 

No mérito a gente sente que o texto é produto de uma leitura cuidadosa de fontes primarias, muito material epistolar e trechos dos fragmentos póstumos de Nietzsche. Além o que tem esse mérito sempre presente de ser da L&PM Pocket, barato, bom de carregar no bolso e fácil de ler em filas de banco ou na parada de ônibus.

 

Vale o preço.

 

 


Deixe seu comentário

2007 ® Pablo Capistrano

dz3