• Zeitgeist

      Sento em um presente que não me atravessa   desse silêncio que me sopra às costas escuto os cemitérios do futuro   depois de toda essa jornada, barqueiro, chegar […]

    Leia mais
  • deus palhaço

    deus é artesão trabalha com barro   sim eu sei ele morreu nós o matamos   mas sua sombra coloniza qualquer mundo que a gente tente construir   deus é […]

    Leia mais
  • As hienas de Seu Jair (papo de quinta)

    Existem duas hipóteses, que não são excludentes, para explicar o caos permanente em que o presidente  brasileiro e sua família mantém o governo e o país.     Depois de postar […]

    Leia mais
  • De Novo: O Chile (Papo de Domingo)

    Quando a barra pesou mesmo aqui pelo Brasil, depois do AI-5, era o Chile que parecia trazer esperança de que o cerco de chumbo na América Latina poderia ser enfrentado. […]

    Leia mais
  • O Novo Normal (Papo de quarta)

    No tempo em que eu era aluno da UFRN, o meu orientador, o professor Glenn Walter Erickson, vez ou outra dizia nos nossos encontros sobre filosofia política: “Pablo, todo marxista […]

    Leia mais

20 jan

Zeitgeist

  • Pablo Capistrano
  • 20 de janeiro de 2020, as 5h05

 

Sento em um presente

que não me atravessa

 

desse silêncio que me sopra às costas

escuto os cemitérios do futuro

 

depois de toda essa jornada, barqueiro,

chegar nessa fronteira

onde abismos florescem

como brotos que explodem no verão

 

a benção de olhar o vazio

liberdade

e mesmo assim

a voz que mora em mim

continua

 

pra onde?

pra quê?

Por quê?


Deixe seu comentário

2007 ® Pablo Capistrano

dz3